quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Trocando o senso comum por dados científicos

Recentemente estive em uma consulta dermatológica e questionei a médica:
-Dra...será que há uma maneira mais eficaz de hidratar o cabelo no dia a dia?
Enquanto aguardava a resposta, cheia de mim, acreditava que a médica responderia o que eu achava saber. Pois, depois de assistir a vários tutoriais de beleza... me sentia a Expert no assunto. Mas, não é assim que as coisas funcionam. Sempre há espaço para o novo. Enquanto vivemos estamos aprendendo.
Ela simplesmente respondeu o contrário do que eu imaginava:
- Primeiro você lava bem o cabelo com o shampoo, depois passa o condicionador e por último o creme hidratante. O último você deixa no cabelo pelo tempo indicado na embalagem. Foi um tapa no meu ego. Eu estava fazendo tudo errado. Eu havia "aprendido" que o condicionador selava as cutículas do cabelo e assim o cabelo ficava protegido e hidratado. Mas, a médica me explicou que o ressecamento é externo, por isso, esse procedimento nutre e hidrata os fios.
Mesmo incrédula vim para casa e no mesmo dia testei. E não é que a ciência falou muito mais alto do que o senso comum! Meu cabelo está mais hidratado e estou amando essa nova experiência de aprendizado. 
Se puderem façam outras hidratações: óleo de coco, se possível, dormir com ele no cabelo e somente no outro dia lavar com shampoo, condicionador e hidratante.
E outras hidratações de sua preferência também serão bem-vindas. Afinal, cada cabelo responde de um jeito diferente ao tratamento. 

A moça da janela


Fabiana era uma moça bela que desejava conquistar um amor para dar um novo sentido para a vida dela. Cansada da sua existência monótona e de não ter com quem conversar tentava da janela do sobrado algo novo contemplar. Pequenas coisas que passavam despercebidas por muitas pessoas mexiam com a moça. Até o sobrevoar de um avião lhe causava emoção. Mas, ainda não era o que desejava sentir para se animar. Com os olhos cheios de lágrimas debruçada na janela do sobrado olhava os pares indo e vindo. Comparava aquele vai e vem dos casais ao que acontece com o sol em um dia de inverno. A si mesma perguntava se em algum dia teria um namorado. Todos os dias o mesmo rapaz passava olhando para cima. Ao mesmo tempo em que se encantava se continha.
Ele a conhecia, mas a olhava de maneira acanhada. Havia um mistério naquela moça envergonhada. Tanto ela como ele tinham medo de o primeiro passo dar para talvez um dia se relacionar. Mais uma vez a bela olhava ao longe, no horizonte, o sol se pondo e dessa maneira contemplava outra vez o dia desaparecer sem ter novidade para viver. Buscava no céu uma resposta como se em algum momento alguém a pudesse arrebatar e assim uma nova realidade vir a experimentar.  Para si mesma teimava murmurar.
− Quem sabe se algo desconhecido pudesse retirar a implosão que se expande dentro do meu coração!
 Da angústia não conseguia se desfazer, pois não sabia como podia de alguma maneira aquele dilema resolver. Um grito silencioso ecoava dentro de seu peito. E sem querer, dentro de si, abrigava o seu próprio calabouço. E mais uma vez pensava:
− Será que não tenho o dom para amar? O meu destino será viver atrelada a solidão que aprisiona e desacelera o meu coração?
Ao mesmo tempo que o medo do desconhecido a imobilizava algo lhe dizia que não podia enxergar o que não foi atrás para desvendar. Por vezes fraquejou. Mas um dia um impulso a levantou.
− Sou senhora da minha ação, por que ficaria paralisada então? A solução está em mim, por que transferiria a responsabilidade que é minha? Preciso agir para um dia sorrir quando o amor chegar para mim. Não posso permitir que meu pensamento seja o ator principal. Já sei distinguir o bem e o mal.
Fabiana foi passear pelos corredores do shopping afim de observar. Precisava se questionar, para talvez uma resposta encontrar. Olhou, olhou e buscou com os olhos entender o que ainda não conhecia, porque sempre viveu no mundo da melancolia.
Sentou-se à mesa, ao lado de um casal, e colocou-se a espionar.
− O que fez aquele rapaz escolher aquela moça para namorar?
− Ela come com a boca aberta. Não tem classe, mas parece que é esperta. Afinal, encontrou alguém para amar enquanto eu fico só a observar. Pelo jeito a aparência não é tudo em uma relação. Pelo jeito o que importa é encontrar alguém que com afinidade lhe proporcione emoção. Que faça parte dos seus dias e que lhe traga satisfação para continuar com alegria. Pelo jeito o amor é algo que precisa ser experimentado e para acontecer tem que ser alimentado. Vou ficar de bem comigo e assim conquistarei mais do que um amigo. Os preconceitos que me acompanharam, as desconfianças que depositei nos outros, os atalhos que nunca soube dar, os segredos contidos e os medos que sempre me serviram de amigos para nada valeu. Despojarei e seguirei. Com as mãos na cabeça olhando para a mesa disse:
− Como pude viver anos presa a sentimentos que me impediram de usar a razão para me libertar de tudo que sempre maltratou o meu coração? Assim como observei e juguei os outros, alguém, também deve ter agido da mesma maneira comigo. Ao olhar para a janela do meu sobrado talvez muitos diziam:
 −Olha aquela menina. Parece que já a vi em contos de fadas. Ela vive como a Rapunzel. Daquela janela vive a contemplar o céu. Que dó. Ela poderia conhecer a vida, ter amigos, sair daquele mundo oculto e com um belo sorriso cultivar novas amizades andando pelas ruas da cidade.
Pensando bem. Talvez é assim que sou vista, mas novos passos darei e em breve do outro lado estarei. A janela já ficou pequena para mim. Ampliarei os meus horizontes e em breve estarei bem distante.  
Eu sabia!  Havia algo estranho comigo, por isso nunca nem consegui fazer amigos.  Uma coisa farei e em breve acompanhada estarei. Preciso me arrumar não por fora, mas por dentro. O primeiro passo é me permitir conhecer o outro, para atitudes precipitadas não ter.
Fabiana parecia ser outra. Com o cabelo para cima em um rabo de cavalo que era jogado para lá e para cá pelo vento, andava, não com a cabeça abaixada, mas de cabeça erguida. Sorrindo parecia flutuar ao andar pelas calçadas antes pouco conhecidas. Cumprimentava o dono da padaria, a vizinha, o porteiro e até mesmo o borracheiro. Com respeito e educação queria curtir a vida por ter se libertado da prisão. Ela percebeu como era simples chamar a atenção sem causar má impressão. Não demorou e muitos amigos chegaram. A janela não a tinha mais para si. Fabiana agora pertencia ao diálogo, ao conhecimento, a novas oportunidades e a tardes regradas com boas risadas. Ela não precisava de um milagre. Tudo que precisava estava dentro de si bastou parar para ouvir.  A tristeza que cultivou por tantos anos sumiu e de repente sem planejar o amor tão esperado surgiu. Fabiana aprendeu que a vida precisava ser explorada e não apenas observada. Não é possível conhecer alguém especial apenas pela suposição. É preciso deixar os preconceitos para se entregar de coração.



segunda-feira, 23 de maio de 2016

Resiliência

A força para continuar existe se você a movimentar. Algumas vezes na vida as setas apontam para o lado negativo, mas o movimento o fará ir ao contrário delas. O desânimo vem, a incerteza vem, o pessimismo também, mas veja na história recente quantos foram os que nadaram contra a maré e tiveram sucesso. Você conhece os que desistiram? Geralmente esses tem pouca notoriedade e servem mais como exemplo do que não fazer.
A autora de Harry Potter J.K. Rowling tinha tudo para desistir, mas a confiança e a força de sua irmã a levaram a ser o sucesso que é hoje. E se tivesse desistido? O que lhe restaria a não ser a frustração por não ter continuado perseguindo o seu sonho. Diversas vezes parei para pensar que deveria fazer outras coisas, mas não posso, porque amo escrever e tenho certeza que um dia terei meus livros publicados. O que dizer de Steve Jobs? Um visionário, uma pessoa além do seu tempo. Foi demitido e a partir dessa "derrota" fundou uma empresa de sucesso. Não parou, mas continuou batalhando sem fixar os olhos nas adversidades e sim nas oportunidades de dali em diante teria se não desanimasse.
Bem, diversos exemplos há. Não pare. Inspire-se e busque conhecimento para desenvolver a sua ideia para vê-la fazendo diferença na vida de outras pessoas.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Educar para sorrir!

Eu só quero que tudo termine bem!


A velhice não é o fim de tudo e sim o início de um novo começo que antes não era conhecido por você. Um começo desconhecido como todos os outros. Inclusive da tão temida por muitos: a morte. Todos vivem sem focar nela como se ela nunca fosse chegar, como se a vida aqui na terra fosse um começo sem fim. Mas algo dentro de cada um parece teimar em avisar que um dia esse fim início se iniciará. Sendo assim todos viverá um começo que desconhecem, mas que um dia se dará a conhecer, querendo ou não. Há coisas inevitáveis que fogem do nosso controle e a morte é uma delas.

Concordo que viver pensando na morte é estar morto vivo. Não é por ai também. A vida é linda, por isso tente, pelo menos tente vivê-la sem buscar a perfeição para si no que é do outro, pois se já é do outro jamais será seu. A perfeição não é encontrada apenas no que é visível como a aparência. A maneira que você se vê não é a mesma que os outros a enxergam. Então, desencana. A beleza vista na revista está recheada de retoques e modelos que estão nas capas nem sempre estão satisfeitas consigo mesmas, pois se estivessem dispensariam o Photoshop. Extraia o que há de mais belo em você e viverá mais satisfeita sem se basear no que é do outro. Quem se baseia na aparência para se sentir perfeito se frustrara, pois ela é fugaz. Assim como não é possível driblar a morte manter a beleza intacta ao longo de muitos anos é algo impossível. O segredo é aprender a viver as fases e com cada uma delas aprender como tirar as melhores lições.
Basear-se em padrões de beleza é por em risco a própria vida. Não se torne escravo de si mesmo. Essa busca é injusta e desumana. Busque conhecimento para influenciar gerações como esses que jamais serão esquecidos: Albert Einstein, Thomaz Edison, Isaac Newton, Clarice Lispector, Steve Jobs, entre outros. Eu só quero que tudo termine bem.
 A mulher quer ser amada por tudo que ela representa. Seja no vigor da sua juventude ou quando essa se for. Será que existe um homem capaz de manter a chama desse amor passando por cima das mudanças inevitáveis que o corpo da sua mulher sofrerá? É possível continuar admirando-a e investindo em seu bem estar como no início do relacionamento? Olhe para as usinas. Suas chamas ficam vivas por tempo indeterminado. Pense nisso para o seu relacionamento em longo prazo.  Se o homem for capaz de amar com essa intensidade nunca conviverá com uma mulher apática e irritadiça. Pelo contrário, sempre encontrará um sorriso vindo de um interior cheio de contentamento por saber que vive e compartilha a sua vida com quem nutre admiração por ela. O tempo pode apagar muita coisa, mas um amor genuíno alimentado com entusiasmo  tempo é incapaz de extinguir. As mulheres que perdem isso no decorrer do relacionamento se sentem desmotivadas a se cuidar, a se exercitar, a se alimentar, a sorrir e a amar. Porque vive o enterro constante do amor e não há em vida castigo maior do que um luto sem fim.
Parte da mulher as reclamações em relação aos homens de: insensibilidade, de falta de comprometimento, de falta de elogios, de falta de observação quando se produz, entre outras. Será que essa mesma mulher está disposta a ensinar o seu filho ou o seu neto a ser um homem que toda e qualquer mulher um dia admirará? Ou se manterão apenas na arquibancada da inércia criticando sem ao menos se propor a mudar a própria história começando do seu lar? Se cada uma focar nesses pontos transmitindo esses conhecimentos para os homens em formação um dia tudo terminará bem para todas nós! Pense e reaja!

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Cabelo realmente hidratado!

Que tal deixar a chapinha somente para ocasiões especiais? Para conseguir tal façanha é importante hidratar os fios. Dessa maneira o cabelo ficará bem cuidado e descansado do calor excessivo da chapinha. Ultimamente estou usando uma hidratação que tem deixado meu cabelo alinhado e disciplinado.

Primeiro passo:

Coloque uma colher e meia (sopa) de amido de milho (Maizena) em um recipiente com meio litro de água. Dissolva bem.
Leve ao fogo mexendo sem parar até formar um mingau grosso.
Despeje em um recipiente. Enquanto ainda estiver quente coloque um pouco de óleo de coco, por exemplo, uma colher de chá. Eu coloco também uma colherzinha de tutano de boi. Há um post em que eu explico como extrair o tutano de boi.
Quando estiver morno acrescente uma colher e meia (sopa) do hidratante de sua preferência. Precisa ser creme de tratamento e não condicionador. Misture bem.

Primeiro modo de usar:

Lave bem o cabelo com shampoo.
Aplique o creme de tratamento mecha a mecha para que penetre nos fios. Siga corretamente o tempo indicado de pausa do seu hidratante que você acrescentou à mistura de amido de milho. Se indicar 5 minutos seja fiel ao tempo. Exceder o tempo indicado ocasionará efeito contrário ao que você deseja.
Enxague bem!!! Depois finalize com o condicionador de sua preferência massageando bem os fios. Enxague bem!


Se as pontas estiverem muito ressecadas aplique o óleo de coco como reparador de pontas.

sábado, 9 de janeiro de 2016

Cabelo X Praia

Cabelo ao vento, ao sol, ao mar e tudo mais que envolvem dias e mais dias sem prestar a atenção aos fios. Entendo que o momento é de curtição, mas descuidar do cabelo causará danos visíveis. Não é complicado tratar do cabelo durante os dias de férias. Simplesmente assim:
Ao chegar da praia passe bastante óleo de coco desde a raiz até as pontas. O óleo de coco ajuda a proteger o couro cabeludo que também sofre bastante com a exposição ao sol. Depois de passar esse óleo, sei que não é possível ficar horas esperando o produto agir nos fios, porque ninguém vai querer ficar parado dentro de um quarto de hotel ou na casa de praia fazendo hidratação. Então, lave o cabelo como de costume. Se achar que está muito oleoso aplique o shampoo por duas vezes. Procure massagear o couro cabeludo com as pontas dos dedos levando a espuma para as pontas sem esfregá-las para que a hidratação não saia totalmente do cabelo. Use o seu hidratante preferido e finalize com o condicionador enxaguando bem para não ficar resíduos nos fios. Caso queira potencializar a hidratação: borrife um pouco de óleo de coco no condicionador que está na sua mão para ser usado e  misture bem. Depois aplique nos fios do cabelo enxaguando em seguida. Sinceramente, meu cabelo ficou tão brilhoso enquanto estava na praia que nem parecia que fiquei horas no sol e na água salgada. 



quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Qual produto alisa sem formol?

Todo mundo está cansado de saber que o formol faz mal à saúde. E um dos maiores males causado por seu uso é o surgimento do tão temido câncer. Portanto, preste atenção nos produtos que os cabeleireiros estão utilizando em seu cabelo. Encontrei essa matéria e achei esclarecedora. Qual substância alisa sem agredir a saúde e quais substâncias são derivadas do formol? Nessa matéria há uma relação delas; das que alisam sem formol e das que são derivadas do formol. No entanto, tome cuidado, pois há fabricantes que usam o formol nas suas formulações sem colocar a informação no rótulo. Então, previna-se conhecendo os sintomas que um produto que contém formol causa no seu usuário.

http://www.ecosmeticssalon.com.br/ecos/noticias/formol-disfarcado-como-identificar/



Cabelo bonito e a saúde devem caminhar juntos.