quarta-feira, 10 de julho de 2013

Tarefa de mãe

Temos que ter consciência do verdadeiro sentido da maternidade. Ela não diz respeito a nós, mas aos nossos filhos

 

Todos sabem que a maternidade não é uma tarefa fácil e que as lágrimas fazem parte do pacote. Quando olho para o meu filho com uma vida toda pela frente, fico pensando na minha responsabilidade. Para que ele alcance a sua plenitude, vai depender muito do tipo de mãe que eu for; é como se ele tivesse entregado a vida dele em minhas mãos. Esta criança pura e dócil, com acanhadas expectativas, me escolheu para ser sua mãe. A única coisa que espera de mim é que o ame de tal maneira que ele se torne uma pessoa melhor do que eu e não tenha que passar as agruras que passei em minha vida. Isto é tudo o que meu filho espera de mim e esta é a tarefa de toda mãe.
Infelizmente, muitas mulheres pensam em ter filhos pelos motivos mais escusos. Algumas se sentem só e acham que uma criança preencherá o vazio da sua vida. Outras querem ter um filho para manter um relacionamento ou para receber benefícios. Uma razão pode parecer pior do que a outra, mas todas têm uma coisa em comum: o egoísmo. Uma mãe que dá à luz filhos a fim de satisfazer uma ou mais necessidades, eventualmente se enfurecerá com eles quando não corresponderem aos seus anseios. Ela nem se dá conta de que está a espera de que pequeninos supram uma necessidade que ela, sendo adulta, não consegue. Isso é injustiça. A consequência disso será uma criação distorcida, gerando adolescentes revoltados, cheios de rancor por aquela que os trouxe ao mundo.
Quando vi meu filho pela primeira vez, fiz planos para ele, não para mim. Todos os dias lembro a mim mesma destes planos e, assim, procuro fazer o meu melhor, de forma que eu seja a mãe de que ele precisa. Não posso ser a mãe que minha mãe foi para mim, nem tampouco ser a mãe que os outros querem que eu seja. Cada pessoa é diferente e tem suas próprias necessidades. Tenho que ser a mãe que o meu filho precisa, e não abusar do meu direito de ser mãe. Ele me entregou a sua vida e tenho que cumprir a minha tarefa de mãe.
A justiça pode chegar ao extremo de determinar que crianças sejam retiradas de seus lares quando estas são abusadas pelas pessoas em quem mais confiam: os próprios pais. Não podemos criticar a justiça por removê-las de suas famílias, afinal de contas, muitas são as crianças que só sobreviveram por causa de determinações judiciais. Mas eu e você temos que ter consciência do verdadeiro sentido da maternidade. Ela não diz respeito a nós, mas aos nossos filhos.
 
 
 
 
 
 
 

http://www.arcauniversal.com/noticias/historias-de-vida/reflexao/noticias/tarefa-de-mae-19628.html