quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Educar para sorrir!

Eu só quero que tudo termine bem!


A velhice não é o fim de tudo e sim o início de um novo começo que antes não era conhecido por você. Um começo desconhecido como todos os outros. Inclusive da tão temida por muitos: a morte. Todos vivem sem focar nela como se ela nunca fosse chegar, como se a vida aqui na terra fosse um começo sem fim. Mas algo dentro de cada um parece teimar em avisar que um dia esse fim início se iniciará. Sendo assim todos viverá um começo que desconhecem, mas que um dia se dará a conhecer, querendo ou não. Há coisas inevitáveis que fogem do nosso controle e a morte é uma delas.

Concordo que viver pensando na morte é estar morto vivo. Não é por ai também. A vida é linda, por isso tente, pelo menos tente vivê-la sem buscar a perfeição para si no que é do outro, pois se já é do outro jamais será seu. A perfeição não é encontrada apenas no que é visível como a aparência. A maneira que você se vê não é a mesma que os outros a enxergam. Então, desencana. A beleza vista na revista está recheada de retoques e modelos que estão nas capas nem sempre estão satisfeitas consigo mesmas, pois se estivessem dispensariam o Photoshop. Extraia o que há de mais belo em você e viverá mais satisfeita sem se basear no que é do outro. Quem se baseia na aparência para se sentir perfeito se frustrara, pois ela é fugaz. Assim como não é possível driblar a morte manter a beleza intacta ao longo de muitos anos é algo impossível. O segredo é aprender a viver as fases e com cada uma delas aprender como tirar as melhores lições.
Basear-se em padrões de beleza é por em risco a própria vida. Não se torne escravo de si mesmo. Essa busca é injusta e desumana. Busque conhecimento para influenciar gerações como esses que jamais serão esquecidos: Albert Einstein, Thomaz Edison, Isaac Newton, Clarice Lispector, Steve Jobs, entre outros. Eu só quero que tudo termine bem.
 A mulher quer ser amada por tudo que ela representa. Seja no vigor da sua juventude ou quando essa se for. Será que existe um homem capaz de manter a chama desse amor passando por cima das mudanças inevitáveis que o corpo da sua mulher sofrerá? É possível continuar admirando-a e investindo em seu bem estar como no início do relacionamento? Olhe para as usinas. Suas chamas ficam vivas por tempo indeterminado. Pense nisso para o seu relacionamento em longo prazo.  Se o homem for capaz de amar com essa intensidade nunca conviverá com uma mulher apática e irritadiça. Pelo contrário, sempre encontrará um sorriso vindo de um interior cheio de contentamento por saber que vive e compartilha a sua vida com quem nutre admiração por ela. O tempo pode apagar muita coisa, mas um amor genuíno alimentado com entusiasmo  tempo é incapaz de extinguir. As mulheres que perdem isso no decorrer do relacionamento se sentem desmotivadas a se cuidar, a se exercitar, a se alimentar, a sorrir e a amar. Porque vive o enterro constante do amor e não há em vida castigo maior do que um luto sem fim.
Parte da mulher as reclamações em relação aos homens de: insensibilidade, de falta de comprometimento, de falta de elogios, de falta de observação quando se produz, entre outras. Será que essa mesma mulher está disposta a ensinar o seu filho ou o seu neto a ser um homem que toda e qualquer mulher um dia admirará? Ou se manterão apenas na arquibancada da inércia criticando sem ao menos se propor a mudar a própria história começando do seu lar? Se cada uma focar nesses pontos transmitindo esses conhecimentos para os homens em formação um dia tudo terminará bem para todas nós! Pense e reaja!